Artículos de opinión

Aporte de las mujeres rurales

Mónica Novillo G.

Domingo, 19 Noviembre 2017

Envíe su artículo

Posts @IPDRS

Nesse dia 10 de março de 2015, mulheres camponesas realizaram protesto em frente ao MAPA. Esta ação está no marco do 8 de março – Dia Internacional de Luta e Resistência das Mulheres Trabalhadoras – onde o Movimento de Mulheres Camponesas, juntamente com outras organizações de todo o Brasil estão mobilizadas na Jornada Nacional de Luta das Mulheres Trabalhadoras do Campo e da Cidade, de 8 a 15 de março de 2015, com o Lema "Por Soberania Alimentar, contra a Violência e o Agronegócio".

Mulheres camponesas realizam feira agroecológica em Brasília

Mulheres camponesas reivindicam a permanência e ampliação de direitos previdenciários

As mulheres denunciam o grande investimento de recursos públicos para o agronegócio, sustentando um modelo de produção que destrói a biodiversidade, causa doença às pessoas e compromete a continuidade da vida no planeta.

É um modelo de produção que expulsa camponesas (es), indígenas, quilombolas, pescadoras (es) de seus territórios. Sua produção é baseada nos monocultivos, na concentração de terras, com transgênicos, uso abusivo de agrotóxicos, não produz alimentos, produz mercadorias para a exportação.

Esse modelo de produção provoca milhares de mortes de pessoas por câncer, em consequência do uso intensivo e abusivo de agrotóxicos e transgênicos. Causa violência contra as mulheres, rouba o direito da produção agroecológica do alimento saudável, e o direito da vida digna no campo.

As mulheres dizem: "Esse ministério não nos representa", pois nunca atendeu as necessidades da agricultura camponesa. Seguiremos mobilizadas e em luta permanente enquanto continuar em vigor esse modelo de morte.

Fortalecer a luta em defesa da vida! Todos os dias!

Escribir un comentario


Código de seguridad
Refescar