Artículos de opinión

Aporte de las mujeres rurales

Mónica Novillo G.

Domingo, 19 Noviembre 2017

Cuando los extractivismos y la corrupción se encuentran

Eduardo Gudynas

Jueves, 09 Noviembre 2017

Indígenas avasallados por otros indígenas en Bolivia

JOSÉ LUIS BAPTISTA MORALES

Domingo, 29 Octubre 2017

Envíe su artículo

Posts @IPDRS

Nós Povo Ka’apor da Região do Turiaçu das 14 aldeias iniciamos nossa 4ª Alternância de estudos de nosso projeto Ka’a namo jumu’eha katu – Aprendendo com a Floresta, no dia 17 de setembro de 2016 na Aldeia Ximborenda, município de Maranhaozinho.

Nosso Tuxa ta pame – Conselho de Gestão e nosso Jumu’e há renda keruhu – Centro de Formação de Saberes Ka’apor decidiu que mesmo a SEDUC não dando apoio e nem garantindo alimentação escolar esses quatro meses, nem transporte escolar a 10 meses, nem material didático, nem contrato de novos professores indígenas e professores de nosso projeto de Educação de Jovens e Adultos; mesmo a Funai dividindo nosso povo, perseguindo nossas lideranças e colaboradores, tirando nossa liderança da ctl zé doca, fazendo parceria com a polícia para perseguir nossas lideranças, tirar a caminhonete que dava apoio para nossa educação e proteção territorial, não vamos desistir de lutar pela nossa educação ka’apor e proteção de nosso território.

Já fizemos documentos para as autoridades denunciando esse descaso do governo com a gente e não melhorou nada. Não vamos esperar mais.

Nossos alunos fizeram um mutirão antes e até agora para acontecer essa alternância de estudos. Nossos estudantes da EJA formaram grupos para pescar, caçar, para juntar jabuti, buscar batatas doce, macaxeira, jerimum, cará, e outros alimentos em nossas roças para nossa merenda durante nossos estudos. Nossos estudantes vieram de pé pela mata, de moto para estudar. Nós queremos conhecer mais os conhecimentos do branco para fortalecer nossa cultura e nossa luta, porque ela é mais importante pra nós. Estamos estudando para continuar sendo ka’apor, moradores da mata, que protege a floresta que é nossa verdadeira casa.

Nossa cultura é forte por isso esse pessoal do governo não vai vencer a gente. Não vamos aceitar que ninguém derrube e destrua nosso trabalho, nosso conselho de gestão ka’apor, nosso centro de formação saberes ka’apor, nossos Ka’a usak ha ta – guardas florestais ka’apor, nossos ka’a mukatu há rehe usak ixo ame’e ta – agentes agroflorestais ka’apor, nossas ka’a mukatu ha – áreas de proteção que protege nosso território. A floresta em pé ajuda a gente a continuar existindo. Por isso nossa educação e cultura tradicional faz a gente mais forte.

Conselho de Gestão Ka’apor e Conselho do Centro de Formação Ka’apor.

 

Foto e Texto: Racismo Ambiental

Escribir un comentario


Código de seguridad
Refescar