Sudamérica Rural Suscribase

Somos parte de

Artículos de opinión

François Houtart, extraordinario ser humano

Gustavo Pérez Ramírez

Jueves, 22 Junio 2017

Cinco Reflexiones sobre el fin de la guerra en Colombia y la dejación de armas de las FARC

Achiote Colectivo Agrario Abya Yala

Viernes, 09 Junio 2017

Mirarse en el espejo de la soberanía alimentaria

Ruth Bautista Durán

Miércoles, 07 Junio 2017

Envíe su artículo

Contáctenos

Av. 20 de octubre # 2396, casi esq. Belisario Salinas
Edif. María Haydee. Piso 12
Telf. 591-2-2115952
Casilla Nº 9052
Contacto: ipdrs@sudamericarural.org
La Paz – Bolivia
NIT: 169994029

Assessoria de Comunicação da CPT Paraiba /Contribução textual: Jozias Umbelino

Conflito em fazenda na Paraíba se intensificou com a prisão de oito posseiros, representantes de aproximadamente 80 famílias que vivem na região há mais de 60 anos. A CPT Paraíba publicou nota de solidariedade aos presos, além de fornecer assistência jurídica.

O conflito pela terra na fazenda Pau-a-pique (município de São José dos Ramos/PB), onde cerca de 80 famílias vivem há mais de 60 anos, se intensificou na manhã da quarta-feira, 25/01/2017, com a prisão de 8 posseiros, que já foram transferidos para a cadeia pública do município de Pilar/PB.

O imóvel em questão possui 850 ha e foi subdividido em razão de herança. Uma das áreas foi adquirida pelo desembargador Paulo Maia. Ele e outras pessoas que adquiriram as demais áreas, aos poucos, foram fechando o cerco sobre os posseiros, ilhando-os com o plantio de cana-de-açúcar e a criação de gado. Com isso e também em virtude das ameaças, os posseiros ficaram impossibilitados de construir novas benfeitorias.

No ano de 2015, foi solicitada a vistoria da propriedade ao INCRA, que já realizou o cadastro das famílias e iniciou as buscas cartoriais, tendo constatado que os registros da propriedade estão confusos.

Em 2016, Paulo Maia ingressou com um pedido liminar de reintegração de posse contra as famílias e compareceu ao local com um trator, junto a 4 policiais, para destruir a lavoura dos posseiros. As famílias, porém, resistiram, não permitindo a concretização da destruição. 

A Justiça entendeu que as famílias são invasoras da terra do desembargador Paulo Maia. Segundo a justiça, eles teriam causado um prejuízo de 90 mil reais ao desembargador. 

Os posseiros presos são José Zacarias de 76 anos; João Augusto de 61 anos; Jorge Silvano de 63 anos; Manoel Paulo de 43 anos; José Nilson de 24 anos; Rogério Sebastião Firmino de 35 anos, além de dois posseiros conhecidos como Venezio e Tido. Eles estão sendo assistidos pelos advogados da Comissão Pastoral da Terra (CPT).

A CPT Paraíba divulgou uma nota em solidariedade aos presos na luta pela terra em São José dos Ramos/PB. Confira abaixo:

Solidariedade aos presos da Reforma Agrária na Paraíba

Lutas e resistência: a terra é um direito que foi negado e o abuso de poder dificulta a conquista da terra.

Esse é seu Zacarias (foto ao lado), conhecido por "Seu Caria". Um dos 8 presos no conflito de Pau-a-pique no Município de São José dos Ramos, na Paraíba. Seu Caria tem 76 anos e está preso acusado de invasão da fazenda Pau-a-pique, onde nasceu e mora até hoje. Seu Caria e mais os outros 7 companheiros representam as 80 famílias da comunidade e a luta de todos camponeses que ainda nos dias de hoje sofrem sem acesso a terra, mesmo morando nela desde que nasceu. Foi escravo da fazenda até entender que a terra é um direito sagrado e resolveu lutar junto aos companheiros para se libertar do fazendeiro opressor e dar destino a sua vida e dos seus companheiros. Mas com muita convicção de que sua prisão é injusta, se necessária ela for, encara as grades com coragem e esperança de dias melhores.

O proprietário, Paulo Maia Filho, é desembargador do TRT13 e é quem acusa os camponeses de invasores. É contra o sistema judiciário que os camponeses batalham. Passamos por um momento de retrocesso e percas de direitos em nosso país com essa força conservadora retirando direitos básicos. Disse Seu Caria aos companheiros: "A gente vai sair e vai trabalhar na terra, agora é que ninguém para". A luta segue e viva o povo que luta. Seu Caria e os 7 companheiros foram presos na última quarta feira, 25 de janeiro de 2017. A comunidade é acompanhada a quase 2 anos pela CPT João Pessoa. Liberdade para os presos da Reforma Agrária na Paraíba.

Fuente original: CPT Nacional

Escribir un comentario


Código de seguridad
Refescar