Artículos de opinión

Cuando los extractivismos y la corrupción se encuentran

Eduardo Gudynas

Jueves, 09 Noviembre 2017

Indígenas avasallados por otros indígenas en Bolivia

JOSÉ LUIS BAPTISTA MORALES

Domingo, 29 Octubre 2017

Argentina: No podemos permitir que nos fumiguen con Agrotóxicos

Movimiento Nacional Campesino Indígena

Martes, 24 Octubre 2017

Envíe su artículo

Posts @IPDRS

Soberania Alimentar é o direito de todos os povos produzirem e comerem seus  próprios alimentos. A alimentação não pode se reduzir a uma mercadoria das corporações internacionais. A Via Campesina faz uma chamado a suas organizações de todo o mundo, ao povo organizado e seus aliados   para  a Jornada de Ação Global pela Soberania Alimentar dos Povos contra as transnacionais, neste 16 de outubro de 2014.

A Via Campesina realiza esta jornada de solidariedade, resistência e mobilização a cada ano com o intuito de dialogar com toda a sociedade sobre o risco que  enfrenta a soberania alimentar dos povos, pelo qual consideramos importante e imprescindível fortalecer a aliança com a classe trabalhadora do campo e da cidade, pois o direito  humano a alimentação não se restringe apenas ao seu acesso mas sim a garantia de uma alimentação saudável e culturalmente apropriada a cada povo.

Em 1996 em Roma  a Via Campesina  afirmou a Soberania Alimentar como um direito  dos povos de decidir suas próprias politicas agroalimentares que favorecem a produção e a distribuição camponesa a nível local e que permitam abastecer as demandas da população.

Hoje as empresas transnacionais do agronegócio mediante a tríplice aliança entre o estado, bancos e meios de comunicação divulgam  amplamente um modelo de agricultura extensiva argumentando que é altamente produtiva e que pode solucionar a crise alimentar. No entanto  a realidade mostra que neste momento mais de 1 bilhão de pessoas passam fome no mundo e que as corporações seguem especulando com a produção agrícola pois seu único objetivo é lucrar.

O agronegócio expulsa milhões de camponeses e camponesas de seus territórios, gerando um campo sem agricultores  e concentrando os bens naturais como terra, água e destruindo da biodiversidade.

Empresas como Monsanto, Cargil, Bunge, Dupont, AMD entre outras monopolizam o comercio de grãos e sementes, criminalizando a  pratica camponesa ancestral de conservar, cuidar e trocar as sementes. O agronegócio incentiva o uso indiscriminado de agrotóxicos, degradando os solos, atentando contra a vida dos camponeses e camponesas além dos consumidores.

Os  camponeses e camponesas da Via Campesina reunidos nessa Ação Global no próximo dia 16 reafirmam a urgência da Reforma Agraria Integral como um mecanismo para conquistar a Soberania Alimentar e afirmamos a produção agroecológica como pratica alternativa e coerente com nosso projeto camponês, que  também vem abrandando os impactos das mudanças climáticas que nosso planeta enfrenta.  

Por isso nesse dia 16 de outubro, Dia de Ação Global pela Soberania Alimentar contra as corporações, nos mobilizaremos em ocupações de terra, fóruns, feiras agroecológica, debates, ocuparemos as ruas de vilas e cidades, lançaremos mais uma vez nossa voz contra o uso dos agrotóxicos e sementes transgênicas,  contra  o monopólio das terras, e por uma reforma agraria integral e pela soberania alimentar como uma transformação radial  para um sistema alimentar socialmente justo e digno para os povos do mundo.

Soberania Alimentar Já!

Queremos registrar todas as ações que as organizações façam ao redor do  mundo: fóruns, marchas, produção de vídeo, troca de sementes e feiras agroecológicas. Envie informações paraEsta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo.

Escribir un comentario


Código de seguridad
Refescar